Vida e Espiritualidade – Os Sinais da Mudança – Filomena de Paula

Não renegues os sinais. Quais sinais, perguntarás? Todos.

Talvez se façam sentir quando te levantas e só te apetece enterrar a cabeça debaixo dos lençóis. Talvez sejam notados pelas dores que o teu corpo grita, talvez pelo diferenciado bater do teu coração ou simplesmente pelo sorriso que há muito esqueceste de vestir.

Não renegues os sinais. Eles estão todos aí, bem perto de ti. É possível que andes distraído, faz parte. Nada tem de errado. Tudo está certo, no processo de cada um. Mas, por favor, em vez de te queixares incessantemente de tudo e de todos, olha para dentro de ti. Pode até parecer absurdo, mas é através da tua rede neural que todo o processo se inicia e faz a diferença.

Sabes, há quem se levante e veja o dia mais cinzento pintado de várias cores e há quem tenha a capacidade de transformar o mais belo dos arco-íris num tormento. Tudo depende dos olhos que observam. Verás sempre a cor que o teu coração conseguir sentir. Nada mais do que isso. Darás os passos que a tua alma estiver preparada para dar. Sentirás e farás o melhor que conseguires. Continuo a dizer-te, tudo está absolutamente certo. Somente te peço que não renegues os sinais. Não ignores, nem resistas.

Está apenas atento, aquieta essa mente brilhante. Coloca-te no papel de observador, e vais percebê-los um a um. E quando os sentires de forma intensa, segue o teu coração, ele será o intermediário entre a tua alma e o teu corpo físico. Se te desconforta, agradece e deixa ir. Se te conforta, agradece e segue. Chegará o dia em que, nem o mais pequeno dos sinais, te será indiferente.

Não tenhas medo de errar, até porque o erro também faz parte do aprendizado. Cada um deles representa, apenas, um estágio de evolução. Não escondas nada de ti, nem dentro de ti. Isso só te fará adoecer. Não te peço para levares tudo a ferro e fogo, peço-te, simplesmente, para não renegares os sinais. A cada encontro que tiveres contigo vais descobrir que afinal tudo acontece no tempo certo e nem sempre precisa acontecer na dor.

Este é o momento de purgar o acumulo de lixo, que, na maior parte das vezes, nem te pertence. Liberta, entrega e pede “ajuda”. Não estás só, nunca ninguém está. Só precisas aprender que lá, do outro lado do caminho, tal como cá, a ajuda só chega até ti com a tua permissão.

Os sinais, esses, ficarão mais claros, quando entenderes que a tua verdadeira essência é o Amor, e que só através dele é possível curar para ascender.

Estamos todos a preparar o caminho de regresso a “Casa”. Cabe a cada um escolher fazê-lo pela dor ou pelo amor.

Filomena de Paula – Desenvolvimento Espiritual e Pessoal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Messenger icon
Escolha a moeda de pagamento
EUR Euro
BRL Real Brasileiro