Do Medo ao Amor – Filomena de Paula

Quando a energia do medo deixar de ser reconhecida, por cada um de nós, ela cessará a sua existência. Este novo estágio só acontecerá quando todas as feridas estiverem fechadas e todas as dores estiverem curadas.

Este tem sido um processo longo, lento, desafiador e muito intenso para a humanidade. A consciência de que tudo é energia e energia é tudo o que existe pode abrir as portas para o despertar que urge acontecer. Para quem ainda resiste e se recusa a olhar para a realidade que está diante dos seus olhos, remete-se à contínua frequência de energias distorcidas promovidas pelo medo. A não aceitação, o não perdão, o não merecimento, a raiva, julgamento, vitimização, manipulação, mágoa, ressentimento são apenas algumas das emoções contidas e alimentadas pelo jogo de dor. Este jogo existe apenas pelo forte e enraizado reconhecimento que temos dele.

Sim é preciso tempo e cada um tem o seu. Verdade! Mas o que é certo, é que pouco tem sido feito com o tempo e as oportunidades que temos tido. Na verdade o que não temos tido é vontade de reconhecer e lembrar o que de mais puro e genuíno há em nós. A essência de Ser é algo comum a todos e a sua castração também. Dogmas, paradigmas, jogos de ilusão e crenças “abafam” o diamante e o seu brilho.

Escolhemos fazê-lo por muitas “eternidades”. Agora é o tempo para reconhecer, aceitar, limpar e requalificar todas as nossas “pendências”. Não há retrocesso possível. O caminho é apenas um, em frente, passos firmes, assertivos, responsáveis e consistentes. A unidade entre, pensamento, sentimento e acção precisa estar presente, ser presente. Assim se cria alinhamento, assim se eleva a fasquia. Só o que é verdadeiro irá prevalecer. Tudo o resto irá ser exposto sem dó, nem piedade para que seja curado, transformado, requalificado. Nada, nem ninguém estará a salvo deste processo.

A resistência só irá provocar mais dor. Não te peço para acreditares em mim ou em qualquer outra pessoa. Peço-te simplesmente para acreditares em ti e te disponibilizares, emocionalmente, à descoberta, a uma nova energia, à experiência, ao desconhecido. Sem tens dúvidas pesquisa, estuda, questiona-te, escuta a sabedoria que trazes dentro do peito e da alma que te acompanha mesmo que não tenhas, ainda, essa consciência. Depois experimenta, sem restrições. Aos poucos um novo mundo começará a surgir. Uma nova energia prevalecerá, aquela que nunca, ninguém, te ensinou a procurar, mas que será a única que reconhecerás quando entenderes que tu és energia. Caminharás do medo para o amor quando relembrares o Amor, mas sobretudo quando te sentires esse Amor!

Filomena de Paula